Lição 4 - Empatia e solidariedade 

EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS (em casa)
(para os/as alunos/as do Fundamental II e do Ensino Médio)


FUNDAMENTAL II E ENSINO MÉDIO

ASSUNTO DA ATIVIDADE: Empatia e solidariedade

INICIANDO A CONVERSA
A pandemia está mostrando que a única maneira de enfrentarmos problemas e desafios globais é de forma coletiva. Tomamos consciência de nossa interdependência. Ou seja, na pandemia minha saúde passou a depender da saúde do outro e vice versa. Ninguém, nenhum grupo ou nenhuma nação conseguirá ter a eliminar coronavírus isoladamente. Ou haverá uma solução para toda a humanidade ou ninguém estará seguro totalmente. 

Também percebemos que a pandemia atinge mais as populações empobrecidas. Elas vivem em condições precárias e têm muita dificuldade de se protegerem com o isolamento social, alimentação e higienização. Além disso, milhões de pessoas perderam o emprego, deixaram de oferecer serviços, tiveram as vendas diminuídas... e milhares perderam parentes pela Covid-19.

Este enorme sofrimento despertou na sociedade todo tipo de ajuda pessoal e empresarial: alimentação, remédio, material de higiene, aparelhos hospitalares etc. Realmente a quarentena revelou ser um tempo de um tempo de solidariedade. Todavia, é uma solidariedade "emergencial" que pode passar logo.

Todavia, ao mesmo tempo continuamos vendo, no Brasil, a cultura do individualismo quando interesses econômicos colocam em risco a saúde dos trabalhadores antecipando a abertura do comércio de escolas, igrejas sem os devidos cuidados... ou expondo os outros à contaminação sem o uso de máscara e sem distanciamento social em passeios, festas etc. É uma grande contradição com os atos de solidariedade.

Por outro lado, a solidariedade duradoura e realmente transformadora é "[...] uma virtude que faz com que a pessoa se sinta comprometida com a vida e tenha interesses e responsabilidades com o grupo, com a nação ou mesmo com toda a humanidade". É estar engajado "[...] na luta contra a injustiça e ter consciência política para o exercício da cidadania, tal como: a luta contra a miséria, a fome, pela educação, pela defesa dos direitos humanos, etc., para que possa se criar à solidariedade de estrutura democrática que opere não somente dentro, mas também fora do país". Texto completo: > clique aqui <

O objetivo das atividades que seguem é proporcionar reflexões, debates e vivências sobre a empatia e a solidariedade duradoura nas crianças, nos adolescentes e em toda a sua família.


SUGESTÃO DE ATIVIDADES

1) Conversar sobre vídeo: "Dia da Solidariedade: problemas globais exigem soluções coletivas" (2.24)  > clique aqui

2) Conversar com a criança ou adolescente sobre a importância da solidariedade no grupo familiar, dando exemplo de que agindo juntos é mais fácil de resolver problemas na família.

3) Ver com os colegas e com o/a professora/a se tem alguém na sua turma de classe que esteja necessitando de alguma coisa ou de alguma ajuda neste tempo de isolamento e que você ou sua família possa ajudar.

4) -- Pesquisar na internet uma dessas pessoas históricas: Martin Luther King, Mahatma Gandhi, Zumbi dos Palmares, Madre Teresa de Calcutá, Irmã Dulce, Nelson Mandela, Herbert José de Sousa (Betinho) e Chico Mendes. -- Narrar por escrito uma das ações de solidariedade da pessoa pesquisada. -- Ler seu texto e conversar com seus familiares sobre a pesquisa.

5) -- Pesquisar na internet sobre uma ação solidária realizada por um destes movimentos sociais: Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Central Única das Favelas, Instituto da Terra, Médicos sem Fronteiras e outros. -- Escolher uma foto e redigir um relato sobre o assunto pesquisado. -- Realizar um encontro virtual com a turma da classe e o/a professor/a para conversar sobre as pesquisas feitas e sobre um projeto de solidariedade que a turma possa fazer online.

6) Conversar com a família sobre a possibilidade de continuar pagando mensalmente, pelo menos em parte, os profissionais autônomos que prestam serviços regularmente a família. (trabalhadores domésticos, cabeleireiros, manicures, terapeutas, fisioterapeutas etc.) Muitos pagam aluguel, perderam a renda e estão com dificuldades de alimentação nesta quarentena.


MATERIAL COMPLEMENTAR

Vídeo: Solidariedade (2:08)   > clique aqui <

Vídeo: Assembleia do povo Guarani Yvirupa (4.54)  > clique aqui <

<<< Voltar